quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Madison - Capital de Wisconsin

Domingo, 04 de Janeiro de 2009, estava na sala Bruno, Milton e eu discutindo o que iríamos fazer na segunda feira, pois era um dia em comum para os três, aliás, nós tinhamos dois fatores em comum, o primeiro é que os três tinham Day Off e o segundo é que os três estavam brigados com a Valéria e ninguém queria ver a cara dela no outro dia, auhauhauhuahaua. Resumindo a história, a viagem para Madison estava marcada, segunda-feira, as 08:30 nós iríamos estar pegando a estrada rumo a Madison, capital de Wisconsin.

No outro dia, como bons brasileiros que somos, acordamos atrasados e já era 08:30 quando acordamos, ou seja, toda a programação de horário já estava comprometida, hehehhe, mas isso era algo óbvio quer íria acontecer, afinal de contas, brasileiro que é brasileiro não chega no horário nunca, uahauhauhuahah.

Bom, conseguimos sair de casa as 10:00, 01:30 depois do previsto, mas tudo bem, não seria isso que iria estragar a nossa viagem. Porém, para honrar a nossa naturalidade, a gente ainda tinha que abastecer, checar os pneus, essas coisas habituais que a gente sempre deixa para última hora e aqui não seria diferente.

Fomos para o posto de gasolina e pela primeira vez nosso carro iria ver um tanque cheio, gente, vocês não imaginam a emoção que a gente estava em encher o tanque daquele carro. Porém, como vontade de brasileiro dura pouco, é claro que a nossa só ficou na vontade, pois de uma coisa eu tenho certeza, encher um tanque de gasolina aqui é mais difícil do que fazer um curso de engenharia, porque não tem lógica, como pode ser tão difícil encher um tanque de gasolina (aqui não tem frentista, então somos nós mesmos que precisamos fazer o serviço pesado), num frio danado, é uma luta terrível: minha mão começa a congelar, a orelha do Milton pedra, o Bruno perde o seu nariz, a gente não sabe quando para de apertar aquele gatilho da bomba, o medo da gasolina supitar na nossa roupa é gigante e assim a gente vai pelejando para colocar gasolina no nosso Mexican Car, resumo da ópera: a gente colocou um tanto que a gente achava que cabia e seria o que Deus quiser. E assim fomos nós.



Tanque cheio, pneus revisados, simbora pegar estrada. Poxa, mas a gente tinha esquecido de um pequeno detalhe, só escutei uma pergunta coletiva dentro do carro: “Qual é o caminho para Madison memo???”, poxa a gente queria tanto ir para a Madison que a gente esqueceu de descobrir o caminho, é muita bananagem, meu Deus. Mas ai com um achismo de cá, um achismo de lá, CONSEGUIMOS, pegamos a estrada, a estrada ERRADA!!! =/



É isso ai, pegamos a estrada errada, já começamos bem a nossa viagem, mas tudo bem, percebemos minutos depois que tinhamos saídos da cidade e com muito custo, o piloto aqui fez um cangaleitãozinho básico no meio da pista e peguei a pista correta (para os leigos que não conhecem o que é um cangaleitãozinho básico, esta é uma manobra super radical e de extremo perigo, onde a pessoa que está fazendo o cangaleitãozinho básico faz o retorno com o carro e pega a pista certa). Pronto, Madison here we gooooo (aqui vamos nósssss).

A viagem foi super tranquila e bem divertida, fomos conversando bastante, o Milton fazendo os seus intermináveis vídeos dele mesmo, onde ele tenta filmar a paisagem, mas eu acho que a mão dele tem algum imã voltado para a sua face que ele fala assim para a camera (é claro que com ela voltada para ele): “Agora eu vou mostrar para vocês o caminhão passando”, ai ele vira a camera para o caminhão em 10 milésimos de segundo e quando a camera começa a focar o caminhão ele retorna para seu rosto e fala: “Bom, como vocês viram o caminhão é gigante” (e na verdade a única coisa que a gente conseguiu ver até agora foi um vulto e o rosto dele, auhauauhauhauhaua, é banana de mais), mas voltando, o Milton com seus videozinhos e assim fomos nós, com muito custo e nos perdendo umas 2 vezes na entrada da cidade, conseguimos adentrar Madison. Bom, foi no começo né, a gente olhava, olhava e falava: “Cadê Madison? A placa ali atrás falou que a gente estava aqui”, uahauhauaha, e a cidade não aparecia, mas em poucos minutos, a gente chegou e o sorrisão apareceu no rosto da galera, ai é foto aqui, videozinho do Milton mostrando ele mesmo dali e a gente vai vivendo naquela felicidade.





Paramos num posto de Gasolina para perguntar instruções e eu vi lá nada mais nada menos que o MAIOR copo que eu já tinha visto em TOOOOODDDDAAAAA minha vida, auhauhauuahaa, fiquei impressionado, eu tinha que conseguir um copão daquele e é claro que eu não queria pagar. Eu sei que aqui nos EUA a gente ganha água de graça em todos os lugares, então o que eu fiz? (lembram que sou super esperto né? Heheheh) joguei aquele charme charmoso (auhauhauhua) para cima da mexicana que tava no caixa e falei que tava morrendo de sede e que não tinha dinheiro, do jeito que eu falei acho que ela pensou que eu estava a 10 dias preso em algum deserto sem ver água esse tempo todo, auhauahua, e falei que gostaria muiiiiitttttooooooo de pegar um copo dágua daqueles. Ahhhhhh, dito e feito, sai de lá felizão da vida com o copão na mão cheio de água, os meninos no carro morreram de inveja e eu tenho agua dentro do copo até hoje, já tem 4 dias que a gente fez a viagem, auhauahuhauh.



Fomos para um shopping e estamos lá vendo as coisas e sonhando comprar todo o shopping para a gente que de repente a gente ve um cara se aproximando e parando o Milton, a princípio fiquei até preocupado com aquela abordagem dele, chamando o Milton e mostrando um monte de coisas, foi ai que eu percebi, o cara tava tentando vender os cosméticos para o Milton, uahuahuahauah, eu e o Bruno quase morria de rir, o cara foi infeliz de maisssss, porque o Milton ele pisca e o olho dele aparece: Save Money (economizar) e o cara escolheu justo o Milton para tentar vender o produto, se fosse o Bruno o cara tinha conseguido vender toda a barraquinha para ele, mas para o Milton e para mim, coitado, é clarroooo que o cara fez todas as amostras dos produtos, falou que tinha uns produtos lá que era free e tal, resumindo, o Milton queria levar só os free, os que tinha que pagar ele nao queria não, auhauaauha, mas é claro que os free era só se ele comprasse o outro produto fulano de tal, auhauhauuahau, resultado, o Milton fez tratamento para a pele dele por um mês lá com o cara, experimentando todos os produtos e ele não levou nada, auhauhauuhaa, foi muito engraçadado, eu e o Bruno quase morríamos de rir.
Foi neste meio tempo que o Milton estava distraído com o cara dos cosméticos, que o Bruno e eu estávamos lá olhando umas loja e conversando em português que a gente escuta uma voz atrás da gente: “Vocês são brasileiros???”, uhuahuahhaua. Resultado, conhecemos mais dois brasileiros que moram lá em Madison e são muito gente boa, conversamos um tempão com eles, almoçamos juntos e eles foram dar as dicas para a gente do que fazer em Madison e tal. Foi muito bacana porque eles deram todo um apoio para a gente, nos deu dicas e tal e de lá a gente já saiu encaminhado para irmos no lago congelado, no Capitólio e de lá para outros lugares, além é claro de ja ter ficado um convite para quando retornarmos em Madison fazermos uma visita para eles.







Eles nos acompanharam até o lago congelado, e gente, acreditem, é um lago inteirinho congelado, auhauahuhauha. É impressionante, a camada de gelo é muito grande, e é claro que brasileiros perdidos vendo algo diferente, tem que pegar, tocar e neste caso, andar em cima, e lá vamos nós. Vimos umas pessoas pescando no gelo, igual vemos em filme, abrindo aqueles buracos no meio do lago, colocando a cadeirinha e pescando num buraquinho no meio do gelo, é muito interessante. Outra coisa que não preciso ressaltar é como o gelo parece sabão né, e é claro que a gente ficou lá brincando de deslizar parecendo menino quando ganha brinquedo novo, e desliza para lá, e leva um escorregão de cá, e acha que é o james bond de lá e pode fazer um super-mega-hiper deslize e com esse super-mega-hiper deslize o que acontece, é claro que o banana aqui que parece que não tem equilíbrio vai para o chão. É foda, levei um escorregão daqueles e repito, que gelo duro e gelado, minha bunda ta doendo até agora, é foda!!!









De lá fomos para o Capitólio, muito bacana, interessante, bem rústico, o desenho e o estilo bem colonial, um lugar bem interessante de se conhecer. Fomos em várias salas, onde tinha porta e tava destrancada a gente foi entrando e tirando foto e conhecendo, aquela beleza, ehuheuheuhe, foi bacana.

De lá fomos na Best Buy, a qual é um lugar de eletrônicos gigannnnnnttttttteeeeee, tudo de tecnologia e com bons preços você encontra lá. Vai um conselho: NUNCA, NUNCAAAAA vão lá sem dinheiro, é pior que tortura com choque elétrico, a gente fica num mundo de televisões, computadores, videogamos, sons, tudo, tudo que você imaginar de teconologia tem lá, a gente saiu de lá babano, com a promessa de voltar e comprar metade da loja, o único detalhe é que para isso acontecer a gente só precisa de uns 100 anos trabalhando, auhuahuahuahau.



Bom, no mais foi só isso, terminamos nosso passeio por Madison na Best Buy, atravessamos a cidade, só nos perdemos mais uns 4 ou 5 vezes, achamos o caminho e voltamos para casa. Foi um dia muito bacana, de muitas visitas e muitos lugares interessantes e com um gostinho de quero mais, provavelmente não vai demorar muito acontecer a nossa próxima viagem, dai eu conto para vocês.

No mais é só isso.

Aquele abraço e até a próxima.

2 comentários:

Lukas disse...

ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh que saudades de Dellsssssssssssssss!!
adorei o passeio por Madison ;)
faz mais videozinhos pra postar ai....
bjs
Aline

Johnny disse...

ahhh hauhauahuah foi o dia que agente se conheceu la em madison ahuahuauha