sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Existe um Brasil dentro de Wisconsin Dells

Olá queridos amigos, peço desculpas pelos vários dias que não posto aqui no Blog, mas realmente o cansaço misturado com uma certa agitação que minha vida ganhou aqui, não tem sobrado tempo ou disposição para eu escrever, porém tirei hoje para relatar a vocês que existe um Brasil dentro de Wi Dells.

Quando cheguei aqui em Wi Dells me senti muito sozinho e junto com a solidão veio pensamentos, reflexões, choros sozinhos, saudades, fraquezas, um monte de sentimentos que é impossível de se descrever, a única maneira de saber é sentindo, acredito que isto é a famosa Home Sick (seria como uma doença por sentir falta de casa).

Os dias se passaram, eu tinha meu computador para ajudar a encarar a solidão e como eu fui contando aqui no blog, com o tempo fui conhecendo pessoas, meus roommates chegaram, consegui um segundo emprego e as coisas foram se acertando.

Com a ajuda da internet eu tinha amigos "virtuais" com um elo em comum que seria a temporada de férias aqui, e que hoje estes vieram a se tornar amigos reais. Bom, como já disse, o começo de tudo foi a internet, a busca por informações sobre esta pequena cidade turística, uma comunidade no orkut onde os brasileiros se ajudam entre si, a troca de informações e força entre os membros e, consequentemente, o conhecimento pelo menos virtual desta cidade antes de chegar aqui. Com esta busca de conhecimento, descobri a existência do Pine Aire Motel, o qual é um motel famoso entre os brasileiros por sua honestidade, aconchego e receptividade.

Devido estes amigos virtuais que depois se tornaram reais e a proximidade do Pine Aire aqui de casa, um dia eu andando deconsoladamente por estas ruas frias e macabras daqui de Wisconsin, passando na porta do Motel, resolvi dar uma de Joãozinho-sem-braço e entrei no motel buscando um amigo (virtual que eu nem sabia ao certo se havia chegado ou não) e com a maior cara-de-pau do mundo, um inglês mais ou menos e o jeitinho camarada da mulher da recepção, passei da porta principal e adentrei ao interior do tão falado Motel.

O motel é bem bacana, aconchegante e climatizado, quando a gente passa pela porta da recepção já saímos direto numa área de lazer (lembrando que é tudo fechado e climatizado) onde tem uma piscina de água quente, uma jacuzi a direita da piscina, logo atrás uma sala com máquina de fliperama, e algumas cadeiras envolta da piscina e da jacuzi para a galera sentar.

Quando entrei no motel pela primeira vez já percebi algo diferente, parecia que eu estava num mundo diferente, vozes e palavra diferentes, apesar de me encontrar nos Estados Unidos da América dentro do Pine Aire Motel o povo falava... Português.... ééééé isso ai, existi um Brasil dentro de Wisconsin Dells e eu não sabia. Que legal, a galera só falando em português chegava até a ser um alívio para meus ouvidos (mas só para ressaltar, quem fala português lá são os hóspedes brasileiros e não os funcionários, porém 90% dos hóspedes são brasileiros). Já cheguei dando aquele Oiii para uma galera em volta da piscina e uns me olhando com aquela cara: "Quem é esse?", ai perguntei por um nome qualquer lá (um amigo virtual lá qualquer), a um lá respondeu: "Não, não sei quem é esse cara não...", pronto, era a deixa que eu precisava para puxar um assunto besta qualquer, falar uma besteira para outro, dar uma risada de alguma outra coisa qualquer e quando eu me vi, estava dentro o quarto de uma galera tomando cerveja, batendo papo e falando besteiras brasileiras, ehhehehehe, foi bom de mais. Ai imaginem, quando junta mais de um brasileiro perdido nas entranhas americanas e sem saber falar inglês que que vira? Vira farra na certa!!! =) E é reunindo essa brasileiraiada tudo junto que a gente percebe o tanto que o brasileiro é capaz de ser feliz por seu próprio estilo e o tanto que o jeitinho brasileiro é algo que esta presente em todos os lugares.

Neste dia lá no Pine foi legal, conheci uma galera massa e sem querer começamos uma festinha lá do nada. Tinha uma boa proporção de 9 ou 10 homens e 1 mulher (noiva), heheehe, aquela maravilha. Mas apesar dessa pequena proporção a favor da ala masculina, quando junta a brasileiraida a farra será boa na certa. Ai vocês já viram né, só os figuras, um conta uma história de pescador daqui, o outro conta uma mentira e a gente finge que acredita dali, mas até ai tudo bem, o que eu fiquei mais impressionante foi quando que nesta conversa, as risadas tomando conta do espaço que pela primeira vez na história da Humanidade, com aquele jeitinho bem brasilero de ser que eu conheço a primeira salva-vidas da Terra que não sabia nadar, auhauhauhauhahauahuahuhauua. Gente, podem pensar que é mentira, mas é verdade, é só brasileiro para fazer uma dessas, a menina veio para os EUA, trabalhar como LifeGuard de um hotel chiquérrimo, porém ela não sabe nadar, tem lógica, quase morri de rir quando eu escutei essa história. Já pensaram, uma criancinha se afogando e a Lifeguard que não sabe nadar, vai salvar a criancinha e quem se afoga é ela, precisa de outro lifeguard para salvar os dois, é só brasileiro para aprontar uma dessas mesmo, uhuahuahuuua. Pela sorte da menina e dos hóspedes do hotel mudaram a menina de posição e ela não vai precisar socorrer mais ninguém. hhehehe.

Com essa reuniãozinha conheci um que conhecia o outro que fiquei amigo do outro que descobri que o um era o cara que eu trocava uma idéia na internet e não sabia e, resumindo, no final eu já tava amigo de quase todo o Pine, falando o bom e simples português, dando um jeitinho brasileiro e tomando uma cerveja gelada, que coisa boa!!!

Com isso, apesar de não ir muuuiiittasss vezes ao Pine, uma ou duas vezes por semana, lá é meio que uma segunda casa para mim, me senti sozinho ou to afim de fazer alguma coisa ou ver uma mulher bonita (porque apesar da minha primeira festa ter sido só cueca, lá tem brasileiras e muito bonitas diga-se de passagem, que dá show de beleza em qualquer americana) eu dou um pulo lá no Pine e ai vira festa.

Uma passagem engraçada que aconteceu lá no Pine foi o meninos lá perguntando a respeito de como era aqui em casa e como eram meus roommates. Fui explicando falando que aqui era grande, os meninos e a Valéria são gente boa, mas são mais tranquilos, não são tão rueiros como eu, estas coisas. Daí eles falaram: "Ah, mas di boa então, se os caras são gente boa já tá valendo, dai de vez em quando vocês tomam uma cerveja lá e fica de boa batendo um papo!", ai falei: "Ih cara, lá em casa a gente nunca comprou cerva não, os meninos não gostam de beber e eu beber sozinho nem animo", dai um perguntou: "Ueh, mas então o que vocês bebem lá?", respondi com aquela humildade e tristeeeezzzaaa: "Uehhhhhh, a gente toma leite (tem cinco garrafão de 4 litros de leite cada um dentro da geladeira) e quando a gente quer dar uma variada a gente toma um leite achocolatado que parece Todynho", os meninos lá quase morreram de rir quando viram eu falando daquel jeito, ehhehe, mas é verdade, aceita um leitinho? Vem aqui fazer uma visita, ehheh.

Como disse, além do Pine minhas noites também ficaram mais agitadas aqui em Wi Dells, tenho saido muito com o Renato (aquele brother que contei pra vocês) e isto tem tornado minhas noites aqui mais divertidas. Fomos em algun barzinhos muito bacana diga-se de passagem, daquele estilo bem americano, muito fera mesmo e esses dias atrás ele me chamou para ir numa festinha na casa de um americano amigo dele, pensei: "Nossa que legal, festinha em casa de americano igual a gente vê em filme, que legal, to dentro. Fechooooooo". E lá fomos nós. Primeiros passamos num barzinho, mas tava meio devagar e em seguida fomos para a festa. Uma casa massa, um bocado de carros na porta, bem próximo aqui de casa. Chegamos, entramos e para minha surpresa... mais uma vez, existe um Brasil dentro de Wi Dells, hehehehe, todos os brasileiros daqui estavam lá, de americano mesmo só os dois amigos do Renato, o resto só a brasileiraiada, ehehhehe, mas melhor ainda, porque isso foi sinônino de conversa em português, povo bonito, mulheres bonitas (hummmm =), bebidas e muita diversão... e no final da noite duas multas por barulho e uma por estacionamento em lugar indevido para o dono da casa (essa parte só fiquei sabendo depois, pq já tinha ido embora, paia).

Bom, no mais é só isso galera, vou tentar voltar a postar com mais frequencia.

Bjos e abraços para os respectivos!!!

T++++

3 comentários:

Gabriel disse...

Boa Murilão maravilha velho to vendo que já ta inturmando deve ser muito bom encontrar gente que é igual a gente onde todo mundo é diferente velho bom demais tomara que você encontre cada vez mais brasileiros ai e logo logo vai se sentir em casa eheheh adoro ler suas historias não deixa de postar não velho. Grande abraçõe e estamos sentido a sua falta aqui.

Gabriel

Lukas disse...

Oi Murilo, quanto tempo hein!!!!
Viu so, te falei que entrando no PIiiiiiiiiiiiineee ia ser festa todo dia heheheheheheehe
massa ne, to morrendo de saudades de morar la, ir no quarto dos vizinhos, pegar gelo la na maquininha, comer cookies de MMs....tanta coisa boa, ir comprar besteiradas no Wal Mart, ....ai ai
Feliz Natal pra todos voces ai, aproveitem pq passa muito rapido!!!!!!!!!!!
Feliz Ano novo, em 2009 nos falamos de novo,...
um beijao a todos os brasileiros em Dells!!!!

Ana Lídia disse...

Fiquei feliz em saber que fez amizades e que encontrou um povo brasileiro aí!!!
Que farra, ein!!!
Estou com saudades...
bjão